https://religiousopinions.com
Slider Image

As crenças e práticas de Rastafari

Rastafari é um novo movimento religioso abraâmico que aceita Haile Selassie I, o imperador etíope de 1930 a 1974, como Deus encarnado e o Messias que entregará os crentes à Terra Prometida, identificado por Rastas como Etiópia. Tem suas raízes nos movimentos de fortalecimento de negros e de volta à África. Originou-se na Jamaica, e seus seguidores continuam a se concentrar lá, embora populações menores de Rastas possam ser encontradas em muitos países hoje.

Rastafari mantém muitas crenças judaicas e cristãs. Rastas aceitam a existência de um único deus trino, chamado Jah, que encarnou na Terra várias vezes, inclusive na forma de Jesus. Eles aceitam grande parte da Bíblia, embora acreditem que sua mensagem tenha sido corrompida ao longo do tempo pela Babilônia, que é comumente identificada com a cultura ocidental branca. Especificamente, eles aceitam as profecias do livro de Apocalipse sobre a segunda vinda do Messias, que eles acreditam já ter ocorrido na forma de Selassie. Antes de sua coroação, Selassie era conhecido como Ras Tafari Makonnen, do qual o movimento leva seu nome.

Origens

Marcus Garvey, um ativista político afro-africano, profetizou em 1927 que a raça negra seria libertada logo após um rei negro ser coroado na África. Selassie foi coroado em 1930 e quatro ministros jamaicanos declararam independentemente o imperador como seu salvador.

Crenças Básicas

Como uma encarnação de Jah, Selassie I é ao mesmo tempo deus e rei de Rastas. Embora Selassie tenha morrido oficialmente em 1975, muitos Rastas não acreditam que Jah possa morrer e, portanto, que sua morte tenha sido uma farsa. Outros pensam que ele ainda vive em espírito, embora não em qualquer forma física.

O papel de Selassie dentro do Rastafari vem de vários fatos e crenças, incluindo:

  • Seus muitos títulos tradicionais de coroação, incluindo o Rei dos Reis, Senhor dos Senhores, Seu Majestade Imperial, o Leão Conquistador da Tribo de Judá, Eleito de Deus, que se correlaciona com Apocalipse 19:16: “Ele tem em sua vestimenta e em seu coxa um nome escrito, rei dos reis e senhor dos senhores.
  • A opinião de Garvey sobre a Etiópia é a origem da raça negra
  • Selassie era a única governante negra independente em toda a África na época
  • A crença etíope de que Selassie faz parte de uma linha ininterrupta de sucessão descendente diretamente do rei bíblico Salomão, a Rainha de Sabá, conectando-o assim às tribos de Israel.

Ao contrário de Jesus, que ensinou seus seguidores sobre Sua natureza divina, a divindade de Selassie foi declarada pelos Rastas. O próprio Selassie declarou que ele era totalmente humano, mas ele também se esforçou para respeitar Rastas e suas crenças.

Conexões com o judaísmo

Rastas comumente mantêm a raça negra como uma das tribos de Israel. Como tal, as promessas bíblicas ao povo escolhido são aplicáveis ​​a elas. Eles também aceitam muitas injunções do Antigo Testamento, como a proibição de cortar o cabelo (que leva aos dreadlocks comumente associados ao movimento) e comer carne de porco e marisco. Muitos também acreditam que a Arca da Aliança está localizada em algum lugar da Etiópia.

Babilônia

O termo Babilônia está associado à sociedade opressora e injusta. Origina-se nas histórias bíblicas do cativeiro babilônico dos judeus, mas Rastas comumente o usam em referência à sociedade ocidental e branca, que explorou os africanos e seus descendentes por séculos. Babilônia é culpada por muitos males espirituais, incluindo a corrupção da mensagem de Jah originalmente transmitida através de Jesus e da Bíblia. Como tal, Rastas geralmente rejeitam muitos aspectos da sociedade e cultura ocidentais.

Sião

A Etiópia é considerada por muitos como a Terra Prometida Bíblica. Como tal, muitos Rastas se esforçam para voltar para lá, encorajados por Marcus Garvey e outros.

Orgulho Negro

As origens do rastafari estão fortemente enraizadas nos movimentos de fortalecimento dos negros. Alguns Rastas são separatistas, mas muitos acreditam em incentivar a cooperação mútua entre todas as raças. Enquanto a grande maioria dos Rastas é negra, não há uma injunção formal contra a prática por parte de não-negros, e muitos Rastas acolhem um movimento Rastafari multi-étnico. Os rastas também favorecem fortemente a autodeterminação, com base no fato de que tanto a Jamaica quanto grande parte da África eram colônias européias no momento da formação da religião. O próprio Selassie declarou que os rastas deveriam libertar seu povo na Jamaica antes de retornar à Etiópia, uma política comumente descrita como "libertação antes da repatriação".

Ganja

Ganja é uma variedade de maconha vista por Rastas como um purificador espiritual, e é defumada para limpar o corpo e abrir a mente. Ganja de fumar é comum, mas não é obrigatório.

Cozinha Italiana

Muitos Rastas limitam suas dietas ao que consideram alimento "puro". Aditivos como aromas artificiais, cores artificiais e conservantes são evitados. Álcool, café, drogas (além da ganja) e cigarros são evitados como ferramentas da Babilônia que poluem e confundem. Muitos Rastas são vegetarianos, embora alguns comam certos tipos de peixe.

Feriados e Celebrações

Rastas celebram vários dias específicos do ano, incluindo o dia da coroação de Selassie (2 de novembro), o aniversário de Selassie (23 de julho), o aniversário de Garvey (17 de agosto), o Dia da Morte, que celebra Selassie Visita à Jamaica em 1966 (21 de abril), no Ano Novo da Etiópia (11 de setembro) e no Natal Ortodoxo, celebrado por Selassie (7 de janeiro).

Rastas notáveis

O músico Bob Marley é o mais conhecido Rasta, e muitas de suas músicas têm temas Rastafari. A música reggae, pela qual Bob Marley é famoso por tocar, originou-se entre os negros na Jamaica e está, sem surpresa, profundamente entrelaçada com a cultura Rastafari.

Nomes de meninos indianos favoritos e seus significados

Nomes de meninos indianos favoritos e seus significados

Dente-de-Leão Magia e Folclore

Dente-de-Leão Magia e Folclore

Divindades Nórdicas

Divindades Nórdicas