https://religiousopinions.com
Slider Image

Introdução à religião católica: crenças, práticas e história

A religião católica foi estabelecida na região do Mediterrâneo durante o primeiro século EC por um pequeno grupo de homens e mulheres judeus, uma das várias seitas que estavam empenhadas em reformar a fé judaica. A palavra "católica" (que significa "abraçando" ou "universal") foi usada pela primeira vez para se referir à igreja cristã primitiva pelo bispo e mártir Inácio de Antioquia no século 1.

Principais descobertas: religião católica

  • O catolicismo é uma religião cristã, uma reforma da fé judaica que segue os ensinamentos de seu fundador Jesus Cristo.
  • Como outras religiões cristãs, bem como o judaísmo e o islamismo, é também uma religião abraâmica, e os católicos consideram Abraão como o antigo patriarca.
  • O atual chefe da igreja é o papa, que reside na Cidade do Vaticano.
  • Existem 2, 2 bilhões de católicos no mundo hoje, 40% dos quais vivem na América Latina.

Segundo dados da sede da igreja, o Vaticano, em Roma, atualmente existem 1, 2 bilhão de católicos no mundo de hoje: 40% deles vivem na América Latina.

O que os católicos acreditam

A religião católica é monoteísta, o que significa que os católicos acreditam que existe apenas um ser supremo, chamado Deus. O Deus católico tem três aspectos, conhecidos como a Trindade.

O Ser Supremo é o criador, chamado Deus ou Deus Pai, que reside no céu e cuida e guia tudo na terra. Ele é conhecido como o senhor do céu e da terra, e referido como todo-poderoso, eterno, imensurável, incompreensível e infinito em entendimento, vontade e perfeição.

A Santíssima Trindade é composta pelo Pai (Deus), que não tem origem e detém o único poder da criação; o Filho (Jesus Cristo) de Deus, que compartilha a sabedoria do Pai; e o Espírito Santo, que é a personificação da bondade e santidade, surgindo do Pai e do Filho.

O lendário fundador da Igreja Católica era um judeu chamado Jesus Cristo, que morava em Jerusalém e pregava para um pequeno grupo de seguidores. Os católicos acreditam que ele era o "messias", o aspecto filho da Trindade, que foi enviado à Terra e nascido para redimir aqueles que pecam contra a verdadeira religião. Dizem que Cristo teve um corpo humano e uma alma humana, idênticos a outros humanos, exceto que ele não tinha pecado. Importantes eventos religiosos que dizem ter ocorrido na vida de Cristo são um nascimento virginal, milagres que ele realizou durante a sua vida, martírio pela crucificação, ressurreição dos mortos e ascensão ao céu.

Figuras Históricas Significativas

Nenhum dos indivíduos nomeados na religião católica como figuras significativas ou santificadas têm poderes de criação e, como tal, não devem ser adorados, mas podem ser chamados para intercessão em orações.

Maria é o nome da pessoa humana que foi a mãe de Jesus Cristo, moradora de Belém e Nazaré. Ela foi informada por um arcanjo que ela daria a luz a Cristo como uma virgem, e permaneceria virgem após o nascimento. Em sua morte, seu corpo passou pelo processo conhecido como "a suposição", tornando-se a Rainha dos Céus.

Os Apóstolos eram os 12 discípulos originais de Cristo: liderados por Pedro, um pescador galileu que poderia ter sido um seguidor de João Batista primeiro. Os outros são André, Tiago, o Maior, João, Filipe, Bartolomeu, Mateus, Tomé, Tiago, o Menor, Judas, Simão e Judas. Depois que Judas se suicidou, ele foi substituído por Matthias.

Os santos são pessoas que viveram uma vida excepcionalmente santa, incluindo muitos mártires do 2º e 3º séculos EC, e depois, dizem que residem eternamente com Deus no céu.

O papa é o pastor supremo da igreja católica. O primeiro papa foi o apóstolo Pedro, seguido por Clemente de Roma por volta do ano 96.

Registros e Autoridades Escritas

O principal documento religioso da religião católica é a Bíblia judaico-cristã, que os católicos acreditam ser a palavra inspirada de Deus. O texto inclui o Antigo Testamento da religião hebraica mais os livros canônicos do Novo Testamento, como foram estabelecidos no século IV dC. Partes da Bíblia devem ser lidas como verdade literal; outras partes são consideradas expressões poéticas de fé e os líderes da igreja definem quais partes são quais.

A lei canônica para católicos emergiu do judaísmo no século III dC, mas não se tornou universal para a igreja até o século XX. Três trabalhos principais que estabelecem o cânon incluem Didache ("Ensinando"), um documento sírio em grego escrito entre 90-100 EC; a Tradição Apostólica, um manuscrito grego escrito em Roma ou no Egito no início do século III, e o Didaskalia Apostolorum ("O Ensino dos Apóstolos"), do norte da Síria e escrito no início do século III.

Mandamentos da Igreja

Existem vários tipos de regras de mandamentos que definem o comportamento ético que estão incluídos no dogma católico. Os dois principais mandamentos da religião católica são que os crentes devem amar a Deus e guardar seus mandamentos. Os Dez Mandamentos são as leis judaicas registradas nos livros do Antigo Testamento de Êxodo e Deuteronômio:

  1. Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim.
  2. Não farás para ti imagem de escultura.
  3. Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão.
  4. Lembra-te do dia do sábado, para o santificar.
  5. Honre teu pai e tua mãe.
  6. Não matarás.
  7. Não cometerás adultério.
  8. Não roubarás.
  9. Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.
  10. Não cobiçarás os bens do próximo.

Além disso, existem seis mandamentos principais da igreja católica. Um católico que adere às leis da igreja deve:

  1. Assistir à missa em todos os domingos e dias santos da obrigação.
  2. Rápido e abster-se em dias determinados.
  3. Confesse os pecados uma vez por ano.
  4. Receba a Sagrada Comunhão na Páscoa.
  5. Contribuir para o apoio da igreja.
  6. Observe as leis da igreja relativas ao casamento.

Sacramentos

Os sete sacramentos são maneiras pelas quais os bispos ou sacerdotes intercedem ou trazem graça de Deus para as pessoas comuns. Estes são os ritos do batismo; confirmação; primeira eucaristia; penitência ou reconciliação; unção dos enfermos; ordens sagradas para ministros ordenados (bispos, sacerdotes e diáconos); e casamento.

A oração é um aspecto importante da vida católica e existem cinco tipos de oração realizados pelos católicos: bênção, petição, intercessão, agradecimento e louvor. Orações podem ser dirigidas a Deus ou aos santos, individualmente ou como uma ladainha.

Os principais dogmas da religião católica são: 1) Deus é universal e ama a todos; 2) Jesus Cristo veio para salvar todo o povo; 3) não pertencer formalmente à igreja católica é objetivamente pecaminoso, e 4) ninguém que é pecador o faz para o céu.

História da criação

A história da criação católica diz que Deus criou o universo a partir do vazio, primeiro começando com os anjos. Um dos anjos (Satanás ou Lúcifer) se rebelou e levou uma legião de anjos com ele (chamados Demônios) e formou o submundo (Inferno). O céu é onde a bondade reside; O inferno é onde o mal reside, e a Terra é onde o mal e o bem estão na batalha.

O mundo foi criado em sete dias. No primeiro dia, Deus criou os céus, a terra e a luz; o firmamento no segundo; a grama, ervas e árvores frutíferas no terceiro; o sol, a lua e as estrelas no quarto, as criaturas do ar e do mar no quinto e as criaturas da terra (incluindo o primeiro humano) no sexto dia. No sétimo dia, Deus descansou.

A vida após a morte

Os católicos acreditam que quando uma pessoa morre, a alma continua viva. Cada alma enfrenta um "julgamento particular", isto é, Deus determina se ela ou ele viveu uma boa vida e onde ela ou ele deveria passar a eternidade. Se uma pessoa aprendeu a amar perfeitamente a Deus, sua alma irá diretamente para o céu para desfrutar da felicidade sem fim. Se uma pessoa ama a Deus imperfeitamente, sua alma irá para o Purgatório, onde será purificada antes de (eventualmente) ir para o céu. Se uma pessoa rejeitou o amor de Deus ou comete um pecado mortal e morre antes de se arrepender, ele é condenado aos tormentos eternos do inferno.

Algumas doutrinas afirmam que há um quarto estado chamado "limbo", onde reside uma alma que não foi batizada, mas não cometeu nenhum pecado pessoal.

Fim dos tempos

A Igreja Católica acredita que Cristo retornará à Terra para salvá-lo novamente, anunciado por sinais como fome, pestilência, desastres naturais, falsos profetas, guerras, a perseguição renovada da igreja e o desvanecimento da fé. O mundo terminará com uma revolta de Satanás e seus demônios ("A Grande Apostasia"), uma época de grandes tristezas ("A Grande Tribulação"), e a aparição de um Anticristo, que enganará os homens, acreditando que ele é um homem de paz e justiça.

Quando Cristo retornar, os corpos dos mortos serão ressuscitados e reunidos com suas almas, e Cristo fará um julgamento final sobre eles. Satanás e seus demônios e humanos pecadores serão lançados no inferno; as pessoas que pertencem ao Céu irão para lá.

Festas e Dias Santos

Desde os primeiros dias da Igreja, a Páscoa tem sido considerada a festa cristã central. A data da Páscoa é calculada com base nas fases da lua e no equinócio da primavera. Embora não haja ritos especiais além de ir à igreja realizados na Páscoa no oeste, os membros da Igreja Ortodoxa Oriental freqüentemente recitarão a Homilia de São João Crisóstomo também. Antes do dia da Páscoa é um período de 40 dias conhecido como Quaresma, que tem vários dias e ritos importantes.

Em seguida, em importância, os festivais no Natal, incluindo o Advento, os 40 dias antes da celebrada data para o nascimento de Jesus Cristo, bem como os eventos posteriores.

Vindo 50 dias depois da Páscoa e 10 dias depois da Ascensão, o Pentecostes marca a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos. Por essa razão, muitas vezes é chamado de "o aniversário da Igreja".

História da Fundação da Igreja Católica

Diz-se tradicionalmente que a igreja católica foi fundada no Pentecostes, o 50º dia após o seu fundador Jesus Cristo ter ascendido ao céu. Naquele dia, o apóstolo Pedro de Cristo pregou às "multidões", pessoas reunidas em Roma, incluindo partos, medos, elamitas e residentes da Mesopotâmia, Judeia e Capadócia, Ponto e Ásia, Frígia e Panfília, Egito e partes da Líbia pertencentes à Cyrenes Pedro batizou 3.000 novos cristãos e os enviou de volta para seus países de origem para espalhar a palavra.

O período desde o Pentecostes até a morte do último Apóstolo é conhecido como a Era Apostólica, e foi durante esse tempo que a igreja foi à clandestinidade por causa da perseguição romana. O primeiro mártir cristão foi Estevão em Jerusalém por volta de 35 EC, mais ou menos na mesma época em que Paulo de Tarso, que se tornaria um importante líder na igreja primitiva, foi convertido ao cristianismo enquanto seguia para Damasco. Os líderes da igreja primitiva se reuniram no Concílio de Apóstolos e Anciãos em 49, para discutir como modificar as regras para permitir que novos convertidos fossem admitidos, mesmo que não fossem judeus, como levantar regras sobre dieta e circuncisão. Paulo começou seu trabalho missionário no Chipre e na Turquia, e ele e Pedro foram executados em Roma.

Os séculos II e III continuaram perseguindo os cristãos pelos romanos, que também perseguiram outras seitas, incluindo grupos religiosos judeus e maniqueístas. O heróico ideal do martírio foi experimentado por homens e mulheres, jovens e idosos, escravos e soldados, esposas e papas. Nem todos os imperadores romanos eram uniformemente brutais, e durante os séculos após o cristianismo se tornar a religião do estado, eles também praticavam a perseguição de outros grupos não-cristãos.

Instituindo Instituições

O primeiro papa foi Pedro, embora os líderes da igreja não fossem chamados de "papas" até o sexto século - Pedro era oficialmente o bispo de Roma. Há alguma evidência de que depois que Pedro morreu, um grupo de bispos supervisionou a igreja em Roma, mas o segundo papa oficial foi Clemente em 96. A ideia de um papa monárquico foi desenvolvida na parte oriental da igreja e espalhada em Roma pela segundo século. Em 100 anos, o controle do bispo em Roma incluiu regiões fora da cidade e da Itália, através da intervenção direta do papa Estevão I.

Estêvão quebrou a igreja em recintos regionais chamados dioceses e montou um episcopado de três camadas: os bispos das dioceses, os bispos das cidades maiores e os bispos das três principais sedes: Roma, Alexandria. e Antioquia. Por fim, Constantinopla e Jerusalém também se tornaram grandes sedes.

Cisma e Mudança

As mudanças mais significativas na igreja vieram após a conversão do imperador Constantino, que fez do cristianismo a religião do estado em 324 EC, trazendo os cristãos para fora da clandestinidade. O Império Romano acabou sendo destruído por invasores bárbaros, invasores que se converteram ao cristianismo. A evangelização e a conversão da Europa central e do norte espalharam o cristianismo nessas regiões.

Começando no início do século VII, a igreja oriental foi ameaçada pela ascensão do islã, embora as forças muçulmanas não tenham tomado Constantinopla até 1453. Os cristãos sob o império islâmico eram uma minoria tolerada; eventualmente, um cisma entre as igrejas orientais e ocidentais levou à separação das igrejas orientais (a serem chamadas ortodoxas) e ocidentais (católicas ou católicas romanas).

O último grande cisma que afetou a igreja católica foi em 1571, quando Martinho Lutero liderou a Reforma, dividindo a igreja e levando ao surgimento do protestantismo.

Diferença entre religiões católicas e protestantes

As diferenças entre as religiões católica e protestante foram um resultado da Reforma Protestante do século VI da igreja liderada por Martinho Lutero. Grandes mudanças que Lutero impôs incluem a redução do número de figuras significativas e santificadas a quem se deve orar, publicando a Bíblia em alemão (fornecida em latim ou grego, somente acessível a autoridades instruídas) e o casamento de padres. Lutero foi excomungado por suas crenças.

Fontes

  • Bokenkotter, Thomas. "Uma história concisa da Igreja Católica (revista e expandida)." Nova York: Crown Publishing Group, 2007. Impressão.
  • "Quantos católicos romanos existem no mundo?" BBC Notícias. Londres, British Broadcasting Company 14 de março de 2013.
  • Tanner, Norman. "Nova Breve História da Igreja Católica". Londres: Burns e Oates, 2011. Imprimir.
Glossário do Jainismo: Definições, Crenças, Práticas

Glossário do Jainismo: Definições, Crenças, Práticas

9 Devocionais Práticos para Homens Cristãos

9 Devocionais Práticos para Homens Cristãos

O que Jesus estava fazendo antes de vir para a Terra?

O que Jesus estava fazendo antes de vir para a Terra?