https://religiousopinions.com
Slider Image

Quais são os Upanishads para a filosofia indiana?

Os Upanishads formam o núcleo da filosofia indiana. Eles são uma incrível coleção de escritos de transmissões orais originais, que foram apropriadamente descritos por Shri Aurobindo como "o supremo trabalho da mente indiana". É aqui que encontramos todos os ensinamentos fundamentais que são centrais para o hinduísmo - os conceitos de 'karma' (ação), 'samsara' (reencarnação), 'moksha' (nirvana), o 'atman' (alma), e o 'Brahman' (Todo Poderoso Absoluto). Eles também apresentam as principais doutrinas védicas de auto-realização, yoga e meditação. Os Upanishads são cúpulas de pensamento sobre a humanidade e o universo, projetados para levar as idéias humanas ao seu limite e além. Eles nos dão tanto visão espiritual quanto argumento filosófico, e é um esforço estritamente pessoal que se pode alcançar a verdade.

Significado de 'Upanishad'

O termo "Upanishad" significa literalmente "sentar-se perto" ou "sentar-se perto", e implica escutar atentamente as doutrinas místicas de um guru ou de um mestre espiritual, que conhece as verdades fundamentais do universo. Aponta para um período no tempo em que grupos de alunos sentavam-se perto do professor e aprendiam com ele os ensinamentos secretos na quietude dos "ashrams" ou eremitérios da floresta. Em outro sentido do termo, 'Upanishad' significa 'conhecimento de Brahma' pelo qual a ignorância é aniquilada. Alguns outros possíveis significados da palavra composta 'Upanishad' são 'colocar lado a lado' (equivalência ou correlação), uma 'quase aproximação' (para o Ser Absoluto), 'sabedoria secreta' ou até 'estar perto dos iluminados'.

Tempo de Composição dos Upanishads

Historiadores e indologistas colocaram a data de composição dos Upanishads de cerca de 800 a 400 aC, embora muitas das versões dos versos possam ter sido escritas muito mais tarde. Na verdade, eles foram escritos durante um longo período de tempo e não representam um corpo coerente de informações ou um sistema particular de crença. No entanto, há uma semelhança de pensamento e abordagem.

Os principais livros

Embora existam mais de 200 Upanishads, apenas treze foram identificados como apresentando os principais ensinamentos. Eles são o Chandogya, o Kena, o Aitareya, o Kaushitaki, o Katha, o Mundaka, o Taittriyaka, o Brihadaranyaka, o Svetasvatara, o Isa, o Prasna, o Mandukya e o Maitri Upanishads . Um dos mais antigos e mais longos dos Upanishads, o Brihadaranyaka diz:

"Do irreal me leva ao real!
Das trevas me leve à luz!
Da morte me leva à imortalidade!

O ponto crucial dos Upanishads é que isso pode ser alcançado meditando com a consciência de que a alma de alguém ('atman') é uma com todas as coisas, e que 'uma' é 'Brahman', que se torna o 'tudo'.

Quem escreveu os Upanishads?

Os autores dos Upanishads eram muitos, mas não eram apenas da casta sacerdotal. Eles eram poetas propensos a lampejos de sabedoria espiritual, e o objetivo deles era guiar alguns alunos escolhidos até o ponto de liberação, que eles próprios haviam alcançado. Segundo alguns estudiosos, a principal figura nos Upanishads é Yajnavalkya, o grande sábio que propôs a doutrina do 'neti-neti', a visão de que "a verdade só pode ser encontrada através da negação de todos os pensamentos sobre ela". Outros importantes sábios Upanishads são Uddalaka Aruni, Shwetaketu, Shandilya, Aitareya, Pippalada, Sanat Kumara. Muitos professores védicos anteriores, como Manu, Brihaspati, Ayasya e Narada, também são encontrados nos Upanishads.

O ser humano é o mistério central do universo que contém a chave para todos os outros mistérios. De fato, os seres humanos são nosso maior enigma. Como disse o famoso físico, Niels Bohr, "somos espectadores e atores no grande drama da existência". Daí a importância de desenvolver o que é conhecido como a "ciência das possibilidades humanas". Foi tal ciência que a Índia procurou e encontrou nas Upanishads, na tentativa de desvendar o mistério dos seres humanos.

Ciência do Ser

Hoje, vemos um desejo crescente em todos de perceber o "eu verdadeiro". Estamos sentindo a necessidade de fazer nosso conhecimento florescer em sabedoria. Um anseio estranho de conhecer o infinito e o eterno nos perturba. É contra esse pano de fundo do pensamento e das aspirações modernas que as contribuições das Upanishads para o legado cultural humano se tornam significativas.

O propósito dos Vedas era assegurar o verdadeiro bem-estar de todos os seres, tanto mundanos quanto espiritualmente. Antes que tal síntese pudesse ser alcançada, havia a necessidade de penetrar os mundos internos até sua profundidade. Isto é o que os Upanishads fizeram com precisão e nos deram a ciência do eu, que ajuda o homem a deixar para trás o corpo, os sentidos, o ego e todos os outros elementos não-próprios, que são perecíveis. Os Upanishads nos dizem a grande saga desta descoberta - do divino no coração do homem.

A história interna

Muito cedo no desenvolvimento da civilização indiana, o homem tornou-se consciente de um estranho novo campo da experiência humana - o interior da natureza como revelado no homem e em sua consciência e seu ego. Ele acumulou volume e energia com o passar dos anos, até que, nos Upanishads, tornou-se um dilúvio, que resultou de uma busca sistemática, objetiva e científica da verdade na profundidade da experiência. Transmite-nos uma impressão do tremendo fascínio que esse novo campo de investigação detinha para a mente contemporânea.

Esses pensadores indianos não estavam satisfeitos com suas especulações intelectuais. Eles descobriram que o universo permaneceu um mistério e o mistério só se aprofundou com o avanço de tal conhecimento, e um dos componentes importantes desse mistério cada vez mais profundo é o mistério do próprio homem. Os Upanishads tornaram-se conscientes dessa verdade, que a ciência moderna agora enfatiza.

Nos Upanishads, temos um vislumbre do funcionamento das mentes dos grandes pensadores indianos que foram desimpedidos pela tirania do dogma religioso, da autoridade política, da pressão da opinião pública, buscando a verdade com uma devoção unilateral, rara na história. de pensamento. Como Max Muller apontou, "Nenhum de nossos filósofos, aceitando Heráclito, Platão, Kant ou Hegel, se aventurou a erigir tal torre, nunca amedrontada por tempestades ou relâmpagos".

Bertrand Russell corretamente disse: "A menos que os homens aumentem tanto a sabedoria quanto o conhecimento, um aumento no conhecimento será um aumento na tristeza". Enquanto os gregos e os outros especializados no assunto do homem na sociedade, a Índia se especializou no homem em profundidade, o homem como o indivíduo, como Swami Ranganathananda coloca. Essa era uma paixão dominante dos indo-arianos nos Upanishads. Os grandes sábios dos Upanishads estavam preocupados com o homem acima e além de suas dimensões políticas ou sociais. Foi uma investigação que desafiou não apenas a vida, mas também a morte, e resultou na descoberta do egoísmo imortal e divino.

Moldando a cultura indiana

Os Upanishads deram uma orientação permanente à cultura indiana por sua ênfase na penetração interior e sua defesa sincera do que os gregos mais tarde formularam no ditado "homem, conhece a ti mesmo". Todos os desenvolvimentos subsequentes da cultura indiana foram fortemente condicionados por este legado Upanisadico.

Os Upanishads revelam uma era caracterizada por um notável fervor de pensamento e inspiração. O clima físico e mental que tornou possível é a terra da abundância que era a Índia. Todo o meio social dos indo-arianos estava cheio de grandes potencialidades. Eles haviam encontrado tempo para pensar e fazer perguntas. Eles tiveram a opção de utilizar o lazer para conquistar o mundo exterior ou o interior. Com seus dons mentais, eles tinham voltado suas energias mentais para a conquista do mundo interior e não do mundo da matéria e da vida no nível sensato.

Universal e Impessoal

Os Upanishads nos deram um corpo de insights que têm uma qualidade universal sobre eles e essa universalidade deriva de sua impessoalidade. Os sábios que os descobriram despersonalizaram-se na busca da verdade. Eles queriam ir além da natureza e perceber a natureza transcendental do homem. Eles ousaram aceitar este desafio e os Upanishads são o único registro dos métodos que adotaram, as lutas que empreenderam e a vitória que alcançaram nesta surpreendente aventura do espírito humano. E isso nos é transmitido em passagens de grande poder e charme poético. Na busca do imortal, os sábios conferiram a imortalidade à literatura que a transmitiu.

Glossário do Xintoísmo: Definições, Crenças e Práticas

Glossário do Xintoísmo: Definições, Crenças e Práticas

Onde Caim encontrou sua esposa?

Onde Caim encontrou sua esposa?

Receitas para o Sabá Beltane

Receitas para o Sabá Beltane