https://religiousopinions.com
Slider Image

Quem foi a Virgem Maria, mãe de Jesus?

Os evangelhos sinóticos identificam Maria como a mãe de Jesus. Marcos descreve Jesus como o "filho de Maria". Na tradição judaica, um homem é sempre identificado como o filho de seu pai, mesmo que o pai esteja morto. Marcos poderia não ter feito isso se o nascimento de Jesus não fosse legítimo - que seus pais não eram casados ​​e, portanto, seu pai biológico não era seu pai "social". Pode ser por isso que Mateus e Lucas descrevem Jesus como o “filho de José” - aceitar que Jesus poderia ter sido ilegítimo não teria sido mais fácil do que é agora para os crentes.

Quando Mary viveu?

Os textos do evangelho não fornecem informações sobre quando Maria nasceu ou quando ela morreu. Se, no entanto, Jesus nasceu em 4 aC e foi seu primeiro filho, então Maria provavelmente nasceu não antes de 20 aC. As tradições cristãs preenchem as lacunas consideráveis ​​aqui, criando numerosas histórias das histórias de vida de Maria que, no final, provavelmente não são menos críveis do que a pouca informação contida nos textos evangélicos que provavelmente também foram criados para preencher as exigências teológicas e culturais. necessidades comunais.

Onde Maria viveu?

Os textos do evangelho descrevem a família de Jesus como vivendo na Galiléia. Lucas, Mateus e João, no entanto, descrevem suas origens como sendo em Belém, que fica na Judéia. Contradições e conflitos como este ajudam a sustentar a conclusão de que os textos do evangelho não são confiáveis ​​sobre informações factuais básicas e, portanto, não são confiáveis. Muitos cristãos depositam absoluta fé e confiança nas histórias do evangelho, mas há muito menos que pode ser confiável do que a maioria imagina.

O que Maria fez?

Marcos retrata Maria negativamente, mostrando-a entre aqueles que pensam que Jesus é desordenado. Os outros escritores do evangelho a descrevem mais positivamente e como ajudando o ministério de Jesus em alguns casos. Lucas, por exemplo, a coloca na Última Ceia com os apóstolos de Jesus e como um dos que recebem o Espírito Santo. As diferenças na representação provavelmente se devem ao fato de que as histórias e os personagens foram todos criados para preencher necessidades teológicas e comunitárias específicas dos autores, não porque retratam com exatidão qualquer coisa que tenha ocorrido. A comunidade de Mark era diferente da de Luke, então eles criaram histórias diferentes.

Por que Maria era uma virgem?

Na tradição católica, Maria é referida como a Virgem Maria por causa da doutrina de sua perpétua virgindade: mesmo depois de dar à luz a Jesus, ela nunca teve relações sexuais com seu marido, Josefo, e nunca deu à luz mais filhos. Muitos protestantes também acreditam que Maria permaneceu virgem, mas para a maioria, não é uma doutrina de fé. Referências aos irmãos e irmãs de Jesus nos evangelhos sugerem que Maria não permaneceu virgem. Este é um dos muitos casos em que a doutrina cristã tradicional entra em conflito direto com o texto da Bíblia. Tendo uma escolha, a maioria dos cristãos segue a tradição.

Por que a doutrina da virgindade perpétua é importante?

A virgindade perpétua de Maria significa que ela é a única humana a ser mãe e virgem; Diferentemente de outras mulheres, ela escapa da maldição de Eva. Outras mulheres são amaldiçoadas com a sexualidade que força os homens a controlá-las e restringi-las. Isso criou na tradição cristã a dicotomia da prostituta virgem: todas as mulheres são ou virgens que seguem os passos de Maria (como por exemplo tornarem-se freiras) ou que seguem os passos de Eva (tentando os homens e fazendo-os pecar). Isso, por sua vez, ajudou a limitar as oportunidades para as mulheres em toda a sociedade cristã.

Por que Maria foi importante no cristianismo?

Maria se tornou o foco das aspirações femininas dentro do cristianismo, para o desgosto daqueles líderes cristãos que preferem manter o cristianismo como uma religião dominada pelos homens. Porque Jesus e Deus são tipicamente descritos em termos exclusivamente masculinos, Maria se tornou a conexão feminina mais imediata com a divindade que os cristãos tiveram. O foco mais forte em Maria ocorreu dentro do catolicismo, onde ela é um objeto de veneração (muitos protestantes confundem isso com adoração, algo que consideram blasfemo).

Por que Maria era importante?

Maria se tornou o foco das aspirações femininas no cristianismo. Porque Jesus e Deus são tipicamente descritos em termos exclusivamente masculinos, Maria se tornou a conexão feminina mais imediata com a divindade que as pessoas tiveram. O foco mais forte em Maria ocorreu dentro do catolicismo, onde ela é um objeto de veneração (muitos protestantes confundem isso com adoração, algo que consideram blasfemo).

Na tradição católica, Maria é mais comumente referida como a Virgem Maria por causa da doutrina de sua virgindade perpétua: mesmo depois de dar à luz a Jesus, ela nunca teve relações sexuais com seu marido, Josefo, e nunca deu à luz mais filhos. Muitos protestantes também acreditam que Maria permaneceu virgem, mas, para a maioria, não é uma doutrina de fé. Por causa das referências aos irmãos e irmãs de Jesus nos evangelhos, muitos acreditam que Maria não permaneceu virgem.

Como acima assim abaixo da frase oculta e da origem

Como acima assim abaixo da frase oculta e da origem

Biografia de Santa Lúcia, portadora de luz

Biografia de Santa Lúcia, portadora de luz

Tradições Mórmons de Natal

Tradições Mórmons de Natal